Menu

PROJETOS

Projeto de Pesquisa

MacroEconomia Ecológica: a construção de uma agenda política para países em desenvolvimento

 

Coordenação: Junior Garcia

 

A degradação do ecossistema global tem sido resultado inequívoco do crescimento econômico, leia-se crescimento do Produto Interno Bruto. A produção econômica irrevogavelmente utiliza recursos naturais e gera resíduos. A correlação entre crescimento do PIB e emissões de gases de efeito estufa (GEE) na escala global, por exemplo, é muito alta, ou seja, próxima a unidade. Embora a degradação ambiental envolva diversas dimensões, esta têm sido sintetizada no enfrentamento das mudanças climáticas, com destaque para a redução das emissões de GEE. As medidas necessárias para barrar o avanço da degradação do meio ambiente têm colocado enormes desafios para a sociedade e para os formuladores de política economia, apesar de que a questão ambiental tem sido sistematicamente ignorada pela Teoria Econômica Convencional (ortodoxa e heterodoxa). Nos principais manuais de Economia, Microeconomia e Macroeconomia a questão ambiental é totalmente marginalizada ou ignorada. Na prática, a questão ambiental na Teoria Econômica tem sido confinada a disciplina Economia Ambiental, cuja abordagem é essencialmente da Microeconomia Neoclássica. A Teoria Macroeconômica Convencional não tem oferecido base teórica e instrumentos adequados para o enfrentamento da questão ambiental. Na prática, a Teoria Macroeconômica é apenas uma teoria do crescimento do PIB, isso porque este é visto como necessário para a solução de qualquer problema social e ambiental. Na abordagem convencional, sem crescimento do PIB, as sociedades entrariam em uma espiral de caos econômico e social, inclusive com avanço da degradação ambiental. A grave pandemia de COVID-19 é mais um alerta para a sociedade de que é preciso uma agenda de políticas macroeconômicas mais adequadas a este novo contexto histórico e ambiental. Neste sentido, esta proposta de pesquisa procura preencher esta lacuna na Teoria Macroeconômica Convencional (Ortodoxa e Heterodoxa), incluindo de maneira explícita a dimensão ambiental nos modelos e nas orientações de políticas macroeconômicas. Em resumo, a proposta busca avançar na emergente MacroEconomia Ecológica, especialmente para a realidade dos países em desenvolvimento.

Financiamento: CNPq (2022-2024).

Projeto de Extensão

Mapeamento da Desigualdade Social na Região de Curitiba

 

Coordenação: Junior Garcia

 

Este projeto de extensão tem por objetivo realizar, de forma dialógica, o mapeamento da desigualdade social na região de Curitiba.

A desigualdade social se tornou um importante problema para as sociedades no século XXI, afetando de maneira significa o bem-estar das pessoas e a trajetória de desenvolvimento. Desse modo, a redução da desigualdade social se tornou fundamental para o desenvolvimento e a melhoria da qualidade de vida das pessoas no século XXI. Contudo, a desigualdade social não é visível e nem mesmo compreensível para a maioria das pessoas e agentes sociais e econômicos, especialmente na escala municipal e local. Isso porque a desigualdade social também está vinculada ao contexto histórico e às características socioeconômicas regionais, reforçando a importância de sua vinculação com no tempo e no espaço. Cabe destacar que a pandemia de COVID-19 e a crise social e econômica que afeta a sociedade brasileira têm contribuído para o aumento significativo da desigualdade social no Brasil e na região de Curitiba. Neste sentido, o mapeamento da equidade ou desigualdade social para a região de Curitiba pode oferecer importantes informações para incentivar o engajamento da sociedade e a adoção de políticas públicas que visem sua redução. Por fim, o mapeamento da equidade ou desigualdade social tem sido realizado em outras cidades brasileiras, tais como no Rio de Janeiro, São Paulo e Belo Horizonte, com resultados interessantes e úteis para a adoção de ações que buscam a redução de desigualdades. O projeto tem interface com os seguintes objetivos de desenvolvimento sustentável (ODS): ODS 1 – erradicação da pobreza; ODS 5 – igualdade de gênero; ODS 10 – redução das desigualdades. A disponibilização de informações sobre a equidade e a desigualdade na região de Curitiba pode sensibilizar a sociedade, agentes privados e agentes públicos, além de auxiliar na definição de políticas que tenham por objetivo reduzir a desigualdade gênero (a partir da apresentação de informações sobre a desigualdade por gênero) e a erradicação da pobreza. O projeto também pode contribuir para a promoção da justiça social, o desenvolvimento sustentável e regional, uma vez que o público alvo é da região de Curitiba, além da formulação de políticas públicas mais adequadas para o enfrentamento da desigualdade social, uma vez que os resultados serão apresentados à sociedade em geral, setor privado e setor público. A proposta vai atender a demanda da Kurytiba Metropole, uma organização da sociedade civil organizada.

O projeto está vinculado ao Grupo de Estudos em MacroEconomia Ecológica (GEMAECO) e ao Núcleo de Estudos em Economia Social e Demografia Econômica (NESDE), sendo realizado em parceria com a Kurytiba Metropole.

Donwload do Projeto de Extensão

UFPR nas Redes Sociais

UFPR no Flickr
Universidade Federal do Paraná
Grupo de Estudos em MacroEconomia Ecológica – GEMAECO
Avenida Prefeito Lothário Meissner, 632, térreo

duvar kağıdıduvar kağıdı


Fone(s): +55-41-3360-4437
CEP 80210-170 | Curitiba | PR


©2022 - Universidade Federal do Paraná

Desenvolvido em Software Livre e hospedado pelo Centro de Computação Eletrônica da UFPR